Queimadas na Amazônia: trabalho jornalístico de brasileiras recebe o prêmio internacional “Earth Journalism Awards”

A série de reportagens denominada “A trajetória da fumaça” foi incluída nos debates da 15ª Conferência do Clima da ONU (COP-15)

 

 

 

 

 

Copenhague, 15 de dezembro de 2.009 - A “Trajetória da Fumaça” é uma série de reportagens sobre a principal fonte emissora de gases estufa no país, as queimadas na Amazônia e responsável pela perda de nossa biodiversidade e riquezas naturais, mostrando não só a degradação e seus resultados terríveis, mas principalmente a viagem da poluição causada pelas queimadas.

A série de reportagens mostra que a poluição gerada na Amazônia atinge vários outros estados brasileiros, acumulando com outras poluições, não se dissipando “por lá” como todos assim imaginam que ocorra.

O trabalho/reportagem “A Trajetória da Fumaça” pela sua enorme contribuição à causa de defesa ambiental e principalmente da Floresta Amazônia e da sua extraordinária biodiversidade é um dos vencedores do prêmio internacional de jornalismo Earth Journalism Awards.

O trabalho, que apresenta uma radiografia do problema das queimadas na Amazônia, foi escolhido os 15 vencedores de diferentes categorias e é o único representante brasileiro entre os ganhadores.

No total, foram 907 trabalhos inscritos, vindos de 148 países.

Em uma segunda fase, houve a escolha de um único trabalho, dentre os quinze finalistas, através de voto pela Internet, votação que ocorreu no domingo, dia 13, sendo o mais votado o trabalho das brasileiras, para ser apresentado a Chefes de Estado, debatedores e cientistas na Conferência do Clima da ONU, a COP-15, que se iniciou no dia 07 de dezembro de 2.009, em Copenhague, capital da Dinamarca.

O Earth Journalism Awards é considerado um dos maiores prêmios do jornalismo ambiental mundial. Ele foi criado para honrar aqueles que, na mídia, usam suas habilidades de comunicação e influência para promover a sensibilização e fornecer uma nova visão sobre questões relativas às mudanças climáticas – seja em sua região ou em relação a temas específicos.

A Trajetória da Fumaça foi um dos vencedores da categoria regional e recebeu menção honrosa no prêmio temático categoria “Florestas”.

O trabalho brasileiro foi desenvolvido pelas jornalistas Cristiane Prizibisczki e Andréia Fanzeres (foto) as quais durante nove meses, percorreram vários estados amazônicos para conhecer de perto, ao vivo e em cores, os terríveis problemas gerados pelos incêndios na maior floresta tropical do planeta.


Cristiane Prizibisczki (dir.) e Andréia Fanzeres (esq.) quando embarcavam para Copenhague, para a COP-15


O resultado foi uma série de cinco capítulos que apresenta, de maneira clara e em formato multimídia, os acontecimentos que colocam o Brasil entre os primeiros do ranking de maiores emissores de gases estufa do planeta.

Hoje, o desmatamento e as queimadas na Amazônia estão no centro do debate. Entender a responsabilidade e os desafios do Brasil na mesa de negociações da COP-15 é essencial para requerer do governo ações concretas em relação ao meio ambiente brasileiro.

No trabalho, as jornalistas buscaram detalhar a rota da fumaça na Amazônia, desde a decisão de queimar, até as conseqüências das emissões, como alterações no regime de chuvas em grande parte do país.

O primeiro capítulo traz uma discussão sobre a origem do fogo e as motivações e estímulos que consolidam a prática.

O segundo conta como são as estruturas disponíveis e os investimentos nacionais para prevenção e combate aos incêndios florestais.

O terceiro trata das conseqüências para o bem-estar das matas, afetadas direta e indiretamente pelo fogo. A saúde da população que vive na Amazônia e arredores é o tema do quarto capítulo.

Por fim, a série traz uma análise dos efeitos climáticos regionais e em todo o país por causa dos incêndios na Amazônia.

Para concretizar este trabalho, mais de onze horas de entrevistas foram gravadas em vídeos e áudio com representantes de órgãos públicos, como Instituto Chico Mendes (ICMBio) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), associações de produtores rurais, agricultores, empresários, jornalistas, ativistas e médicos.

O trabalho pode ser conferido em português e inglês, no seguinte endereço eletrônico:

http://www.oeco.com.br/trajetoriadafumaca

A cerimônia de premiação do Earth Journalism Awards ocorreu na noite do dia 14 de dezembro, durante a COP-15, em Copenhague, e a entrega do prêmio, transmitida pela internet, foi feita pela ex-ministra do Meio Ambiente e pré-candidata à Presidência, Marina Silva; o trabalho foi apresentado aos chefes de Estado e negociadores participantes da conferência.

Para conhecer o site da Earth Journalism Awards e ver todos os 15 trabalhos finalistas premiados, clique no link abaixo:

 
http://awards.earthjournalism.org/finalists