O efeito estufa

Inicial O que é o efeito estufa As bases físicas Os gases Impactos do desmatamento Impacto das mudanças climáticas Impactos sobre o Brasil As reações da comunidade internacional Protocolo de Quioto

A contribuição do desmatamento

Como mencionado anteriormente, o desmatamento é responsável pelo lançamento anual de aproximadamente 2Gt de carbono na atmosfera (figura 13). Até meados dos anos 60, quando a queima de combustíveis fósseis passou a ser a fonte mais importante, o desmatamento foi a principal fonte de carbono para a atmosfera. Alguns pesquisadores estimam que entre 1850 e 1985 o desmatamento foi responsável pelo lançamento de 100 a l3OGt de carbono na atmosfera e a queima dos combustíveis fósseis por 190Gt.

Globalmente, os ecossistemas florestais cobrem uma área de 4.1 bilhões de hectares, sendo que 42% desse total encontram-se na região tropical. O Brasil possui cerca de 10% dessas florestas. O desmatamento global é estimado entre 11 e 15 milhões de hectares e está ocorrendo basicamente nas regiões tropicais do planeta. No Brasil, o desmatamento, aliado às queimadas, vem se tornando um grave problema ambiental. Entre 1978 e 1994 a área desmatada na região amazônica passou de 78 mil Km2 para 470 mil Km2, ou seja, 12% da área florestal original (figura 14). A principal causa desse desmatamento é a conversão de florestas em pastagens e lavouras temporárias.

A situação nas regiões de cerrado e caatinga também é grave. Cerca de 40% da vegetação original do cerrado já foi desmatada, e a tendência futura é de aumento do desmatamento em função da expansão da fronteira agrícola. Quanto à caatinga, a área de remanescente florestal dos estados do nordeste foi reduzida em cerca de 47%. A situação mais grave é a da Floresta Atlântica. No passado esse bioma abrangia 17 estados brasileiros, cobrindo uma área de 1.130.000 Km2. Hoje restam apenas 9,02% da área original da Mata Atlântica, que está distribuída em pequenos fragmentos florestais esparsamente localizados ao longo da costa brasileira e no interior das regiões sul e sudeste principalmente. Em Minas Gerais, por exemplo, a Mata Atlântica cobria cerca de 35% do território do estado. Hoje restam apenas 4,19% da cobertura original.

O desmatamento, além de ser uma das mais importantes fontes de carbono para a atmosfera, é uma grave ameaça à nossa biodiversidade e aos nossos recursos hídricos. As políticas governamentais devem caminhar no sentido de oferecer alternativas de renda para o setor rural brasileiro e de melhorar a produtividade desse setor, a fim de que se possa produzir mais em uma área menor. Em Minas Gerais, onde o desmatamento é feito visando à produção de carvão vegetal e à conversão da área desmatada em pastagens, o que tem restado são amplas áreas de pastagem degradadas, cursos d’água assoreados e diminuição da vazão dos corpos d’água no período seco.

Figura 13. Fluxo líquido anual de carbono a partir do desmatamento nas regiões temperadas e tropicais do globo no período 1850-1980 (segundo Houghton e Skole, 1990. In: Woodwell, G. M., 1992).

Figura 14. Variação das taxas de desmatamento anual médio na Amazônia Legal (Brasil, 1998).