Inclusão da biodiversidade na alimentação é debatida em Brasília

 

 

Brasília, 05 de fevereiro de 2.013 – Um projeto internacional para incluir produtos nativos na dieta alimentar das pessoas foi discutido hoje (8) durante a primeira reunião do Comitê Nacional de Coordenação do Projeto Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade para a Melhoria da Nutrição e do Bem-Estar Humano.

 

A ideia é mostrar que é possível diversificar a dieta com produtos nativos e sem danificar o meio ambiente. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, 90% da flora nativa do país não fazem parte da alimentação dos brasileiros, sendo que muitas espécies nativas se reproduzem gratuitamente. O gerente de Recursos Genéticos do Departamento de Conservação da Biodiversidade do ministério, Lídio Coradin, lembra que 60% da alimentação mundial está concentrada no arroz, na batata, no trigo e no milho. Outros alimentos muito consumidos são o feijão, a cana, a beterraba, a soja, a banana, o sorgo, a mandioca e o amendoim. 

 

“Há possibilidade de se mudar a cultura das populações para o consumo de muitos produtos da biodiversidade, que são utilizados apenas regionalmente, e que têm poder nutritivo muitas vezes maior sobre aqueles empregados habitualmente”, disse.

 

Além do Brasil, participam da iniciativa a Turquia, o Quênia e o Sri Lanka. O projeto prevê investimentos de US$ 1,7 milhão no Brasil até 2016  por meio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), da Organização das Nações Unidas (ONU) e do Programa das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), sob a coordenação do Bioversity for Food and Nutrition (BFN).

 

Edição: Carolina Pimentel